17/06/2012


Laços

Laço azul, lilás, arco íris que seja,
De presente, ou ausente.
Bem amarrado, com brilho ou sem.
Laços de cetim, de papel, de amor

Laços de afeto,
Que prendem corações
Que mesmo longe
Estão unidos por forte fita

Existem laços distintos
Laços de eternas recordações
Que um dia foi entrelaçado
Envolvidos de doçura sem fim

Um laço bem apertado
Refinado de amor
Pode ser eterno
 E Inabalável.

3 comentários:

Velho Santiago disse...

Oiê, vim agradecer a visita. Se entendeu bem, somos três: o menino, o moço e o velhosantiago. Falamos juntos e, às vezes, separadamente. É preciso essa explicação, pois em nosso último texto quem ali escreveu não foram os três... Há muita dor por enquanto. E os três estão tristes. Por sermos um, sentimos igual e todos se isolaram... deixaram apenas essa consciência por ai...

Sua epigrafe ai, ao lado: a usei no meu TCC da graduação, há 11 anos. Realmente linda... Como desencantá-la? Ainda é minha busca e torna-se mais difícil a cada dia que amadureço.

Seus laços são lindos. E são leves. Seu sorriso é leve também. Parece um breve teatro mágico (que percebi seres fã!).

E caso não conheça, há ainda um lado de lá:

"Se pra ser alguém é requisito ter bom gosto Eu quero ir pro lado oposto Só quero dar uma volta do outro lado Pra ver como é que tá"

Cordel do fogo encantado. Coisa tão mágica quanto!

Volte sempre. A porta tá sempre aberta e, quando a tranco, a chave fica na fechadura.

Abc.

Velho Santiago disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Velho Santiago disse...

Não é cordel não, foi uma confusão nos CDs aqui de casa, rs. É do Maurício Baia!