17/09/2009

Estranheza Particular



Algo me sufoca
Meu é ar rarefeito
Meus pulmões se contraem
Uma estreiteza sem fim
Invade meu ser silencioso
Um frio no verão

Os olhares são sombrios
As palavras irônicas
As melodias desconfiguradas
As pessoas correm
Para lugar algum

Uma estranheza particular
Corre em minha circulação

3 comentários:

Taisa-chan disse...

Achei maneiro,vc tem muito talento menina.Meus parabéns.

Carlos Howes disse...

O pior da estranheza é justamente o fato dela ser tão particular...


Continua caprichando na expressão. ;)

Junior Bellé disse...

Muito bonito, especialmente o último verso.