10/05/2009

Original...















Passo longe da perfeição
Mais sou natural
Sou sempre eu
Mesmo que escondida no meu avesso
Sou eu quem chora e ri atoa
Quem briga e ama ao mesmo tempo
Eu que perco noção da hora ouvindo musicas estranhas
Eu que me emociono com noticiarios
Que leio poetas mortos
Sou eu jovem, muitas vezes velha
Eu que não dou minutos ao tempo
Eu que me escondo nas palavras
Eu Timída, rosada
Eu que vou além de mim
E não me acho nos meus sentimentos
Sou eu perdida dentro de mim...
Sou eu Naturalmente esquecida
Perdi a chave que me abre.

2 comentários:

Max Oliver disse...

Sua chave tá guardada entre o céu e a terra em algum peito que vc não encontrou...um peito que vai achar...e só vc vai saber...

Camila Bevilacqua Ceregatti disse...

e que esta chave se mantenha perdida...porque a delicia da vida está nos momentos de procura e não de encontro.
A procura é a hesitação, a espera, ansiedade, saudade.
O encontro é um objetivo alcançado...escolher novas metas é sempre um caminho difícil...

devolvendo o comentário, agradecendo...

vou voltar sempre...

BEIJOS =]